domingo, junho 30, 2013

Esteiros




SOEIRO PEREIRA GOMES
capa e desenhos de Álvaro Cunhal

Lisboa, 1941
Edições «Sirius»
1.ª edição
19,3 cm x 13,1 cm
304 págs.
exemplar manuseado, lombada suja e com restos de rótulo de entrada em biblioteca; miolo limpo
ostenta no ante-rosto dedicatória de «Oferta dos editores ao Diário de Notícias» e carimbos da biblioteca do referido periódico
120,00 eur (IVA e portes incluídos)

Livro proibido durante a ditadura do Estado Novo, aliás como todas as suas obras [vd. Livros Proibidos no Estado Novo, Assembleia da República, Lisboa, 2005].
De António Caeiro no Notícias da Amadora (11 de Fevereiro, 1967, cortado pela Censura, e somente publicado em Fevereiro de 2003):
«“Esteiros” [...] aborda o problema da adolescência proletária no Ribatejo. Este livro, que nos faz lembrar os “capitães da areia” do brasileiro Jorge Amado, não pretende provar o que quer que seja. Nem o autor faz quaisquer juízos sobre a situação (não é, contudo, uma crónica no sentido convencional do termo) [, mas] é evidente que o seu conteúdo e o tratamento permite detectar a formação ideológica do escritor e o seu comportamento cívico e vice-versa.»
Capa referida no catálogo Ilustração & Literatura Neo-Realista, Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira, 2008.

pedidos para:
pcd.frenesi@gmail.com
telemóvel: 919 746 089