quarta-feira, maio 28, 2014

A Rosa de Papel




AUGUSTO DE SANTA-RITA

Porto, 1917
Edição da «Renascença Portuguesa»
1.ª edição [única, segundo Richard C. Ramer]
24 cm x 17,7 cm
64 págs.
subtítulo: Mysterio n’um Cantico – Poêma Dramatico em Prosa e Verso
miolo impresso sobre papel superior de fabrico manual não aparado
capa impressa sobre semi-cartolina rugosa de fantasia não aparada
exemplar em bom estado de conservação
COM EXTENSA DEDICATÓRIA A ANTÓNIO FERRO ASSINADA PELO AUTOR
peça de colecção

280,00 eur (IVA e portes incluídos)

Filho do poeta Guilherme de Santa-Rita e irmão de Santa-Rita, Pintor, irá seguir uma linha estilística que vai do simbolismo tardio ao futurismo da Orpheu de Fernando Pessoa. Tendo falecido já nos anos 50 do século passado, pôs a sua arte praticamente ao serviço do saudosismo e da propaganda nacionalista do Estado Novo, que teve em António Ferro o seu mentor cultural.
O vertente poema veio a ser musicado por Rui Coelho e representado no Teatro de São Carlos.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089