sexta-feira, agosto 15, 2014

Mea Culpa suivi de La Vie et l’Œuvre de Semmelweis


LOUIS-FERDINAND CÉLINE

Paris, 1937 [aliás, 1936]
Denoël et Steele
impresso por L. Bellenand et Fils
1.ª edição*
18,7 cm x 12,3 cm
128 págs.
exemplar estimado da tiragem comum; miolo limpo
peça de colecção
85,00 eur (IVA e portes incluídos)

Da badana da tradução portuguesa de Manuel João Gomes (Antígona, Lisboa, 1989):
«[...] Mea Culpa é um ensaio. Um ensaio aparentemente escrito por uma das muitas personagens celinianas.
O pretexto era falar contra a União Soviética que tinha acabado de visitar. Mas o texto vai mais longe. Fala contra o Homem, contra os outros, contra a solidariedade humana, contra a felicidade, contra o progresso, contra o humanismo.
Para Céline, a Revolução Comunista prova exactamente isso: que não é possível corrigir a maldade humana, que todas as revoluções são uma impostura... Quem tinha razão eram os padres da igreja que pregavam a insignificância do homem e o convidavam a sofrer, a humilhar-se, sem lhe alimentarem quaisquer ilusões de felicidade.
“O Homem nunca teve, no ar ou na terra, senão um só tirano: ele próprio!... Nunca terá outros...”, diz textualmente Céline que acaba a profetizar uma “grande barrela”: a Esperança, a Ideia de Revolução acabarão por destruir o Mundo. Isso para Céline, é positivo: a Terra, nesse dia, será livre. Finalmente.
Mas sendo Céline nazi, as suas críticas ao homem e à sociedade ficarão para a história das inutilidades. [...]»

* A indicação «21me édition» no canto superior direito na capa remete para o número de títulos no catálogo do editor, e não para a presente tiragem.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089