domingo, dezembro 28, 2014

Novos Lieder [partituras]


RUY COELHO
pref. Antonio Ferro

s.l. [Porto ?], s.d.
s.i. [Casa Moreira de Sá ?]
1.ª edição
26,3 cm x 19,4 cm
3 págs. + 25 págs.
subtítulo: Triologia Camoneana[,] Soneto de Antonio Nobre e Outros Poemas
conserva a sobrecapa em papel de fantasia
exemplar estimado, sobrecapa gasta nas dobras; miolo limpo
peça de colecção
47,00 eur (IVA e portes incluídos)

Notação musical para piano e canto. Além das composições para versos de Nobre e Camões, inclui pautas para poemas de Pierre Louis, do próprio Ruy Coelho e Maurice Maeterlinck. De Ruy Coelho (1889-1986) diz-nos Nuno Sotto Mayor Ferrão (pág. electrónica):
«Ruy Coelho, um polivalente compositor, maestro, pianista e crítico musical [...] foi votado ao esquecimento pela sociedade portuguesa, na segunda metade do século XX, devido, provavelmente, às inúmeras polémicas em que se envolveu com músicos portugueses eruditos e, talvez, também à colaboração que manteve com o Estado Novo. A prova disso está no facto de José Saramago, durante o PREC [Processo Revolucionário em Curso], o ter saneado de crítico musical do Diário de Notícias. [...]
A imensa versatilidade cultural fê-lo aproximar-se de compositores como Igor Stravinsky ou Manuel de Falla, e tanto de técnicas mais modernistas como a atonalidade ou mais tradicionalistas como os princípios neoclássicos de composição. [...]
As suas obras musicais abarcam diversos géneros como as óperas, as sinfonias, as músicas para bailados e filmes (Alla-Arriba! e Camões, de 1942 e 1946, realizados por Leitão de Barros), concertos para piano e música de câmara. As composições de timbre patriótico refloresceram com a utilização de elementos ligados ao folclore, com as evocações historicistas e com as óperas cantadas em português, das quais se tornou um indefectível defensor. Foi, inclusivamente, o autor do hino da cidade de Lisboa. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089