terça-feira, janeiro 13, 2015

O Municipio no Seculo XIX


J. [JOSÉ] FELIX HENRIQUES NOGUEIRA
rev. e notas de Agostinho Fortes

Lisboa, s.d. [1914]
Edição da Typographia de Francisco Luiz Gonçalves
2.ª edição
18,8 cm x 12,3 cm
240 págs. + 20 págs. (publicidade)
exemplar estimado; miolo limpo
35,00 eur (IVA e portes já incluídos)

Acerca de Henriques Nogueira (1823-1858) diz-nos, a 3 de Fevereiro de 1881, o periódico de Rafael Bordalo Pinheiro O António Maria: «[...] lavrador abastado, espirito cultivadissimo em vastas leituras e em longas viagens em Hespanha, em França, na Belgica, na Allemanha e em Inglaterra, elle foi em Portugal o mais puro representante das idéas revolucionarias espalhadas na Europa de 1848 por Mazzini, por Kossuth, por Mickiewicz e por Ledvu-Rollin. Foi elle que iniciou em Portugal as associações operarias e a theoria politica da federação. [...] Os seus livros, o Almanach democratico e o Almanach do cultivador lembram a vigorosa penna e rural de Paulo Luis Courrier, o escriptor com que elle tem mais affinidades de espirito e de caracter. A sua obra intitulada Estudos sobre a Reforma em Portugal basta para immortalisar o nome de Henriques Nogueira, revelando do modo mais brilhante a sua profunda intelligencia como philosofo e como politico e o seu magnanimo coração como democrata e como patriota. [...]»
Devemos acrescentar, referindo o vertente livro, que Henriques Nogueira viu no municipalismo um meio pragmático para a consolidação no terreno das suas ideias federalistas.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089