terça-feira, junho 16, 2015

Cantares


[ZECA] JOSÉ AFONSO
coord., pref. e notas de Manuel Simões e Rui Mendes

s.l. [Tomar], s.d. [1966]
Nova Realidade
1.ª edição
20,9 cm x 12 cm
86 págs.
capa em cartolina negra com sobrecapa
exemplar estimado
assinatura de posse na folha de rosto
80,00 eur (IVA e portes incluídos)

Livro e autor vilmente perseguidos durante o anos fascizantes. Os do actual regime esqueceram-se de lhe dar importância no álbum de recordações que a Assembleia da República, em 2005, editou sob o título Livros Proibidos no Estado Novo...
Mas sempre os versos dele, do Zeca, escritos para serem cantados, vinham embebidos de uma doçura límpida e de uma alegria que os faz durar como se de hoje e agora fossem nascidos. Um exemplo:

«NATAL DOS MENDIGOS

Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
As raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdido
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda a noite à’ventura»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089