sábado, agosto 01, 2015

É Proibido Apontar [junto com] As Harmonias do «Canelão»




JOSÉ RODRIGUES MIGUÉIS
capa de Manuel Correia (somente do vol. I)

Lisboa, 1964 e 1974
Editorial Estúdios Cor, Lda.
1.ª edição (ambos)
2 volumes (completo)
[18,4 cm x 11,9 cm] + [20,3 cm x 11,9 cm]
216 págs. + 212 págs.
subtítulos: Reflexões de um Burguês – I e Reflexões de um buguês – II
o vol. II tem sobrecapa a cobrir uma capa com impressão a uma cor e relevo seco
exemplares estimados; miolo limpo
45,00 eur (IVA e portes incluídos)

Uma passagem do primeiro volume:
«[...] Era eu pequeno, para reprimirem em mim uma espontânea e justiceira tendência acusadora, o desejo de inquirir sem reservas, apontando, ensinaram-me que em certa igreja, ao erguer o dedo para um santo em seu nicho, ficara um homem com a mão sacrílega cortada resvés. Apontar é pecado, é tabu!
Até que ponto terá esta proibição geral destruído em mim as curiosidades naturais, o desejo de saber de fonte directa, e de acusar sem rebuço, forçando-me a uma atitude hipócrita de indiferença? Os meus dedos ficaram para sempre anquilosados, perderam a agilidade necessária para trespassar indiscretamente as pessoas e os factos que a minha consciência interroga ou condena. E no entanto, o homem que aponta assume a responsabilidade do seu gesto: porque há sempre na sombra da noite que nos envolve um cutelo pronto a cortar, como ao outro no templo, a mão que se ergue a inquirir, a acusar, a denunciar. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089