domingo, outubro 04, 2015

A Prostituição


ALBINO LAPA

Lisboa, 1949
Revista «Polícia Portuguesa» (separata)
1.ª edição
19,8 cm x 13,7 cm
40 págs.
subtítulo: Subsídios Para o Seu Combate e Para a Sua História
ilustrado
acabamento com um ponto em arame
exemplar estimado; miolo limpo
valorizado pela dedicatória manuscrita do Autor
20,00 eur (IVA e portes incluídos)

Albino Lapa tanto escrevia acerca da mendicidade como da aviação, de caminho que a história das seguradoras, ou das bandas militares, ou dos fósforos, ou da polícia lhe serviam despreocupadamente de tema... Era, portanto, um historiador nacional como estes que há agora a fazer vida de criar álbuns por encomenda para as administrações das empresas e as figuras públicas menores oferecerem umas às outras. Ao intendente Pina Manique «[...] se deve, desde 27 de Abril de 1781, a inspecção sanitária às prostitutas [...]», o que é pouco, segundo Lapa, porque «[...] para que tudo corresponda no sentido de elevar e defender a mulher, mesmo a que se perde por aquelas afrontosas causas, devem as leis e os regulamentos recair com todas as suas sanções puníveis sobre as velhacas donas dos pestilentos e sórdidos coitos, porque a estas, e só a estas, se deve em parte a perdição de muitas mulheres. [...]» Pelo que louva a intenção purificadora do ministro do Interior, Cancela de Abreu, que acabara de propor à Assembleia Nacional legislação para sossegar a «ordem pública» e a «defesa da família», lei então aprovada e transcrita na vertente brochura.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089