quarta-feira, agosto 10, 2016

Folclore Madeirense


VISCONDE DO PORTO DA CRUZ

Funchal, 1955
Câmara Municipal do Funchal
1.ª edição
23,4 cm x 16,2 cm
2 págs. + 292 págs. + XXVI págs. em extra-texto + 18 págs. em extra-texto + 12 folhas em extra-texto
profusamente ilustrado no corpo do texto e em separado
exemplar em bom estado de conservação; miolo irrepreensível
VALORIZADO PELA DEDICATÓRIA MANUSCRITA DO AUTOR
ostenta colado no verso da capa o ex-libris de Álvaro Mayer de Assis Lopes, a quem se destina a dedicatória
67,00 eur (IVA e portes incluídos)

De seu nome Alfredo António de Castro Teles de Meneses de Vasconcelos de Bettencourt de Freitas Branco (1890-1962), teve o título nobiliárquico legalmente autorizado por D. Manuel II, no exílio, em abril de 1921, e reconhecido pelo Conselho da Nobreza em 1949. Foi jornalista, publicista, escritor, membro de várias associações culturais e um profícuo promotor da cultura madeirense. Fundou, dirigiu e colaborou em diversos periódicos de cariz político, literário e cultural. Ao longo da sua vida abraçou vários projectos, credos e ideologias: foi monárquico, integralista, regionalista, nacionalista, nacional-sindicalista, fascista, revelando ainda uma faceta germanófila e anti-semita. (Fonte: Aprender Madeira, página electrónica)

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089