terça-feira, agosto 02, 2016

Documentos Relativos ao Apresamento, Julgamento e Entrega da Barca Franceza Charles et Georges e em geral ao engajamento de negros, debaixo da denominação de trabalhadores livres nas possessões da Coroa de Portugal na Costa Oriental e Occidental de Africa para as colonias francezas apresentados ás Cortes na sessão legislativa de 1858



aa.vv.

Lisboa, 1858
Imprensa Nacional
1.ª edição
30,6 cm x 21,5 cm
6 págs. + 250 págs. + 16 págs. + XX págs.
encadernação moderna de amador em sintético com gravação a ouro na lombada
muito pouco aparado
conserva as capas de brochura
exemplar muito estimado, pequeno restauro na capa de brochura; miolo como novo, papel encorpado
155,00 eur (IVA e portes incluídos)

Trata-se da reunião integral de todos os documentos relativos ao incidente diplomático criado pelo apresamento do navio francês Charles et Georges, que servia de transporte de negros levados de Inhambane para a ilha da Reunião, disfarçadamente como trabalhadores livres, mas sendo de facto escravos a pedido da família francesa Routannay. Julgado e condenado o capitão, trazido o navio para Lisboa para aguardar o resultado do recurso interposto. «[...] O episódio transformou-se ràpidamente numa questão de prestígio e o governo francês acabou por ameaçar com a força para nos obrigar à libertação pura e simples do navio e do seu comandante e ainda ao pagamento duma indemnização aos interessados. [...] Um triste episódio, afinal, integrado no movimento antiescravagista, em que o mais fraco foi batido pelo mais forte, com a fácil arrogância característica do 2.º Império francês.» (Alberto Martins de Carvalho, in Joel Serrão, Dicionário de História de Portugal, vol. II, Iniciativas Editoriais, Lisboa, 1979)
Em Apêndice, junta a edição «Documentos relativos á detenção, no porto do Ibo, da barca franceza Alfred».

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089