sábado, dezembro 03, 2016

Natal Português


LUÍS CHAVES

Lisboa, 1942
Livraria Clássica Editora – A. M. Teixeira & C.ª (Filhos)
1.ª edição
19 cm x 12,4 cm
96 págs.
subtítulo: Preparação do Natal – Noite de Natal – Consoada – Madeiro e fogo do Natal – Missa do Galo – Presépio & Presépios – Cristo em domínio no Natal – Janeiras, Pastoradas, Autos Populares – Reis e Reisadas
exemplar manuseado mas aceitável; miolo limpo
discreta assinatura de posse no frontispício
17,00 eur (IVA e portes incluídos)

Um aspecto menos conhecido, que Luís Chaves destaca em capítulo próprio: «Que festa a do “madeiro do Natal”! Numas terras, o preceito foi roubar a árvore: tem seu mistério profilático e requere estranhos ritos o roubo, – o roubo cultual, relacionado com outros cultos primitivos. Hoje: roubar é sempre roubar; embora nestes casos o proprietário da árvore seja indulgente. É o Natal!
Noutras terras, sempre um lavrador oferece a árvore para o “madeiro”. [...]
Em terra portuguesa, a “árvore do Natal” não é outra: chama-se o “madeiro do Natal”; e não se põe espècada numa sala, a fingir cenários exóticos. Deita-se num largo da povoação, – de preferência no adro da matriz ou da igreja, onde se oficia a “Missa do Galo”, – e pega-se-lhe o fogo. Serve para queimar em honra do Menino Jesus.
A “árvore do Natal” portuguesa é a modos de um círio aceso ao ar livre, diante do presépio. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089