sexta-feira, dezembro 09, 2016

Paisagem Sem Barcos



MARIA JUDITE DE CARVALHO
capa de Sebastião Rodrigues

Lisboa, s.d. [1963]
Editora Arcádia Limitada
1.ª edição
19 cm x 12,5 cm
208 págs.
encadernação editorial com sobrecapa
exemplar n.º 423 de uma tiragem comprovada pela Sociedade Portuguesa de Escritores (que será encerrada em 1965 após assalto policial)
em bom estado de conservação, miolo muito limpo, sobrecapa com pequenos restauros
22,00 eur (IVA e portes incluídos)

Tendo-se iniciado nas lides jornalísticas em 1950 como redactora da revista Eva, e, mais tarde, ingressando nos quadros do Diário de Lisboa, onde permaneceu até finais dos anos 80, José Cardoso Pires recorda a sua personalidade sorumbática e angustiada assim [fonte: Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, vol. V, Publicações Europa-América, Mem Martins, 2000]: «[...] não participava em nada... Sentava-se ali como quem ia à repartição... Não conheci uma única pessoa com quem se desse. Só uma vez a vi alegre.» E o próprio marido, Urbano Tavares Rodrigues, dela afirma: «Vivia como espectadora, sempre céptica e desencantada... Uma dor funda sempre a acompanhou [...].»
E no entanto este seu terceiro livro constitui um dos «[...] momentos mais altos da sua arte de ficcionista. [...] Os temas serão, no geral, os das suas anteriores novelas: frustração no amor e na amizade, dor de viver, solidão, egoísmo quotidiano. O que, sem ser de agora, aqui se nos patenteia de um modo cada vez mais claro é o empenho social desta escritora discreta, cujo bom gosto extremo não consente o alarido, cuja natureza anti-retórica recusa o plaidoyer, mas que vai fazendo nos seus livros, implacàvelmente, o processo agudo, melancólico, irónico, da sociedade burguesa em crise. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089