segunda-feira, janeiro 02, 2017

Eu, o Povo



MUTIMATI BARNABÉ JOÃO
[João Pedro Grabato Dias, (aliás) frey Ioannes Garabatus, (aliás) António Quadros]


Lourenço Marques, 1975
Edição da Frelimo
1.ª edição
20,4 cm x 14,9 cm
32 págs.
subtítulo: Poemas da Revolução
acabamento com dois pontos em arame
exemplar em bom estado de conservação, capa oxidada pela presença continuada da luz; miolo limpo
assinatura de posse no frontispício
peça de colecção
45,00 eur (IVA e portes incluídos)

De seu nome completo António Augusto de Melo Lucena e Quadros, este reconhecido filho de Viseu, que também foi pintor, escultor e poeta surrealista, na linha verrinosa das cantigas de escárnio e maldizer, só comparável, em poeta moderno, a Alexandre O’Neill, surge aqui expandindo a sua heteronimia numa “homenagem” à terra que o acolheu durante um quarto de século. Companheiro de Rui Knopfli, com quem co-editou os cadernos de poesia Caliban, à sua pérfida maneira celebra aqui a independência da ex-colónia, sob nome que – diz ele – «[...] é a voz individual que corporiza a voz colectiva [...]», posto que, «[...] na realidade Mutimati fosse o nome do seu criado, Barnabé o do seu gato e João o do seu filho [...]» (in Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, vol. 6, Publicações Europa-América, Mem Martins, 2001).
Leia-se, por exemplo, poema «Relatório», que abre o caderno:
«Pus o meu irmão debaixo da Terra
Porque desde ontem o meu irmão não falava mais
E não queria comer, não queria limpar a Kalashnikoff
Com os olhos muito abertos e leves de sono.

Este meu irmão ficou ontem muito diferente
Quando uma pequena ave imperialista
Um simples assobio cego e sem penas
Que vinha voando do outro lado da Alegria
Resolveu estupidamente ninhar naquele coração
Quando meu irmão estava mesmo na metade mesmo
De um passo, Camarada Comandante.

Está aqui tudo o que não era meu irmão
O cinturão, o camuflado, dois carregadores, a arma boa
O bornal, o cantil, o facão, esta pequena moeda estrangeira.

Está tudo em muito perfeito estado de conservação.
Faz favor dá Ordem para pôr dentro outro Irmão
Camarada Comandante.»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089