domingo, janeiro 08, 2017

Parodie du Juif Errant




CHARLES PHILIPON
LOUIS HUART
Cham

Paris, s.d. [1844]
Aubert et Cie, Éditeurs
s.i. [1.ª edição]
texto em francês
18,1 cm x 12,2 cm
348 págs.
subtítulo: Complainte Constitutionnelle en Dix Parties
profusamente ilustrado no corpo do texto com «300 vignettes par Cham (de N..)»
encadernação antiga com lombada em pele gravada a ouro
aparado, sem capas de brochura
exemplar estimado; miolo limpo, ocasionalmente com manchas de antiga humidade
assinatura de posse no ante-rosto
ostenta colado no verso da pasta anterior o rótulo da Livraria de Pedro de Medeiros e Albuquerque que fez gravar as suas iniciais na lombada
120,00 eur (IVA e portes incluídos)

Cham, pseudónimo de Charles-Amédée-Henry de Noé (1818-1879), desenhador caricaturista muito influenciado por Daunier, colaborou em várias publicações, entre as quais os parisienses Charivari e Illustration. Charles Philipon (1800-1862), igualmente caricaturista, mas também escritor satírico, foi o fundador da editora Aubert, e director do referido Charivari. Escusado será dizer que o tom de ambos é de um republicanismo feroz contra o poder vigente, dando origem a hilariantes figuras políticas e de costumes da época. Louis Adrien Huart (1813-1865), além de ter dirigido o Teatro Nacional do Odeon, foi jornalista, companheiro de sátira no Charivari, onde exerceu as funções de chefe-de-redacção.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089