sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Garcia de Rezende, Excerptos




GARCIA DE REZENDE, et alli
Antonio Feliciano de Castilho, org. e posf.

Rio de Janeiro / Paris, 1865
Livraria de B. L. Garnier, Editor
1.ª edição (nesta forma)
21,7 cm x 14,2 cm
VIII págs. + 368 págs.
subtítulo: Seguidos de uma noticia sobre sua vida e obras[,] um juizo critico[,] apreciações de bellezas e defeitos e estudos de lingua por Antonio Feliciano de Castilho
elegante encadernação editorial em tela gravada a ouro e relevo seco em ambas as pastas e na lombada
impresso sobre papel superior
exemplar estimado; miolo limpo, com ocasionais manchas de antiga humidade
discreta assinatura de posse na primeira folha-de-guarda
35,00 eur (IVA e portes incluídos)

Miscelânea fragmentária cobrindo brevemente o Cancioneiro Geral, nos seus autores mais representativos (além do próprio Resende), o Breve Memorial dos Peccados e a Chronica de D. João II. Garcia de Resende, contemporâneo de Gil Vicente, reuniu na sua magna antologia poética palaciana o que em português e castelhano terá sido escrito nas cortes de D. Afonso V, D. João II e D. Manuel. Sendo que a infinita maioria dos versos se destinava «[...] aos serões do paço, onde se recitava, se disputavam concursos poéticos, se ouvia música, se galanteava, se jogava, se realizavam pequenos espectáculos de alegorias ou paródias. Tudo isto se fazia dentro dum estilo que tendia a apurar-se como se apurava o vestuário, o penteado, a linguagem [corrente] e a etiqueta.
O ambiente cortesão explica o carácter lúdico, ligeiro e circunstancial de grande parte do conteúdo do Cancioneiro Geral, e ao mesmo tempo as formas estilizads, espirituosas que nele por vezes se encontram. [...]» (ver António José Saraiva / Óscar Lopes, História da Literatura Portuguesa, 15.ª ed., Porto Editora, Porto, 1989).

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089