sexta-feira, agosto 10, 2018

Céu de Allah


MALBA TAHAN
pref. Humberto de Campos
ilust. Cavalleiro e Constantino

São Paulo / Rio de Janeiro, 1931
Livraria Francisco Alves
2.ª edição
18,6 cm x 14 cm
288 págs.
subtítulo: Contos Orientais
cartonagem editorial
exemplar estimado; miolo limpo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)

Ali Yezid Izz-Eddin Ibn-Salin Malba Tahan, nascido nos arredores da cidade de Meca em 1885, de família abastada, ao que veio a saber-se nunca terá posto o pé fora do Brasil. Assim o pinta o académico Humberto de Campos, em prefácio a uma outra das suas obras (Mil Histórias Sem Fim, Livraria Editora Freitas Bastos, Rio de Janeiro, 1931):
«[...] A formação oriental do espirito geograficamente brasileiro do Sr. Malba Tahan podia ser objeto, evidentemente, de uma pesquisa de Freud. Trata-se, civilmente, de um homem que nasceu no Brasil, de um engenheiro com o seu título cientifico brilhantemente conquistado em nossa Escola Politécnica, membro de antiga e ilustre família brasileira. Entretanto, o Sr. Malba Tahan tem uma figura de árabe; surgiu para as letras tendo no pensamento os Desertos, as tamareiras, as tendas estremecendo ao vento, sacodidas pelas tempestades de Areia. E, quando abandona as terras bárbaras e familiares do seu sonho, é para consagrar-se na vida prática ao estudo e ao ensino das matemáticas, que constituem, como se sabe, uma ciencia árabe ou, pelo menos, que o árabe tomou como sua. [...]
A êsse árabe do Brasil estava destinada, todavia, a realização de um dos maiores empreendimentos das literaturas orientais porventura tentados fóra do Oriente. É propósito seu dotar as nossas letras brasileiras e, ao mesmo tempo, as letras árabes, como uma coletánea no género das “Mil e uma Noites”, dos “Mil e um Dias” ou das “Mil Historias” [...].»
Resta acrescentar tratar-se do pseudónimo do bem sucedido escritor brasileiro Júlio César de Mello e Souza (1895-1974).

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089