domingo, abril 30, 2017

La Vuelta al Día en Ochenta Mundos


JULIO CORTÁZAR
grafismo de Julio Silva

Buenos Aires | Madrid, 1973
Siglo XXI Editores, S. A.
7.ª edição (3.ª edição em livro de bolso)
2 tomos (completo)
texto em castelhano
profusamente ilustrados
exemplares em bom estado de conservação; miolo irrepreensível
35,00 eur (IVA e portes incluídos)

Julio Cortázar (1914-1984), escritor argentino, é um dos mais representativos prosadores latino-americanos contemporâneos. A vertente obra exemplifica um género (o livro-almanaque) que teve em Manuel João Gomes o único cultor em Portugal, género que balança entre a short story e a não-ficção. Será também determinante a sua influência nas obras cinematográficas de dois distintos realizadores do século XX: Antonioni (Blow Up) e Godard (Week End).

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


sexta-feira, abril 28, 2017

Os Reinegros


ALVES REDOL

s.l. [Mem Martins], 1972
Publicações Europa-América, Lda.
1.ª edição
21 cm x 15 cm
376 págs.
cartonagem editorial
exemplar estimado; miolo limpo
assinatura de posse no ante-rosto
27,00 eur (IVA e portes incluídos)

Obra póstuma do escritor, talvez inacabada, mas que insiste no retrato do trabalhador explorado e inculto.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Anúncio


ALVES REDOL
capa de M [Manuel Ribeiro Pavia]

Lisboa, 1945
Editorial «Inquérito», Ld.ª
1.ª edição
19,2 cm x 12,6 cm
304 págs.
exemplar estimado; miolo limpo
VALORIZADO PELA DEDICATÓRIA MANUSCRITA DO AUTOR
50,00 eur (IVA e portes incluídos)

Segundo um tal [Francisco] Monteiro Grilo (fichas de leitura para o departamento de aquisições da Fundação Calouste Gulbenkian), tardio na leitura, em 1966, o livro de Redol não passaria de: «Miséria, degradação, da baixa classe média: egoísmo dos que detêm a chefia nas profissões – eis o que reune esta colectânea, que se redimiria caso as histórias narradas se impusessem por mérito estético.»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

O Muro Branco


ALVES REDOL

Mem Martins, 1966
Publicações Europa-América
1.ª edição
20,9 cm x 14,2 cm
336 págs.
exemplar estimado, sem qualquer sinal de quebra na lombada, capa manchada; miolo limpo
ostenta colado no ante-rosto o ex-libris de Augusto Guimarães Amora
27,00 eur (IVA e portes incluídos)

Da nota editorial da badana:
«O Muro Branco é um romance empolgante.
A história acidentada e plena dessa Zé Miguel – descarregador, eguariço, contrabandista e proprietário – que, partindo do nada, atingiu a fortuna a golpes de audácia e de sorte, é trazida retrospectivamente a nossos olhos, em avanços e recuos, desfibrando torpezas ou aflorando intimidades, numa sucessão trepidante de episódios que o leitor é obrigado a recriar visualmente. [...]
Toda a sua escalada obedeceu a uma determinação de conquista, que lhe ficou de uma infância infeliz da qual conseguiu escapar. Ele caminha conscientemente para a sua autodestruição, procurando no muro branco a solução que se lhe nega, vítima agora e sempre dos mitos em que construiu e assentou a sua pretendida grandeza.
Zé Miguel – o Miguel Rico como lhe chamavam – será o símbolo de uma época? [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Porto Manso


ALVES REDOL
capa de M [Manuel Ribeiro Pavia]

Lisboa, 1946
Editorial Inquérito Limitada
1.ª edição
19,3 cm x 12,7 cm
416 págs.
exemplar estimado; miolo limpo
37,00 eur (IVA e portes incluídos)

Segundo Adolfo Simões Müller (fichas de leitura para o departamento de aquisições da Fundação Calouste Gulbenkian), o vertente livro «[...] dá-nos, de facto, o drama do homem do Douro, vivendo pràticamente a bordo do rabelo e assistindo, revoltado, à chegada do comboio, o cavalo de ferro. Cada capítulo deste romance, à excepção do primeiro, é antecedido de uma página sobre um aspecto da paisagem envolvente. É como que a descrição do cenário, antes da acção do drama, uma espécie de contraponto para o choque das almas e dos corpos. Algumas dessas páginas de introdução – processo, aliás, não inédito [...] – têm um belo recorte literário, do melhor que conheço do autor. Quanto ao romance pròpriamente dito, revela por vezes certa ingenuidade na edificação social que vai esboçando. A verdadeira força do livro está no drama rural que se desenvolve ao longo dos seus capítulos. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Histórias Afluentes


ALVES REDOL
capa de João da Câmara Leme

Lisboa, 1963
Portugália Editora
1.ª edição
19,3 cm x 13,3 cm
332 págs.
exemplar estimado; miolo limpo, por abrir
ostenta colado no verso da capa o ex-libris de Augusto Guimarães Amora
35,00 eur (IVA e portes incluídos)

É a continuação natural da “história”, publicada em separado, no ano anterior, sob o título Constantino Guardador de Vacas e de Sonhos. Aliás, o primeiro núcleo aqui coligido parte, significativamente, do número «2 – Histórias Com Rapazes». A experiência africana surge aqui, pela primeira vez, na escrita de Redol, facto sublinhado na badana do livro, onde se relembra uma passagem de uma entrevista anteriormente dada pelo autor:
«[...] Eu tinha dezasseis anos. E foi então que parti para Angola, num barco onde ia uma leva de degredados. Desembarquei com cinquenta escudos e uma garrafa de vinho do Porto. Fiz curso de desempregado durante seis meses, fui assalariado da Fazenda, vendi pneus, ocupei-me de publicidade, leccionei estenografia numa escola nocturna e acabei com a malária. Regressei, aos dezanove anos, na mesma terceira classe onde partira à ida. Já não era, porém, o mesmo: fui com esperança, voltei com uma anemia. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Barranco dos Cegos


ALVES REDOL
capa de João da Câmara Leme

Lisboa, 1961
Portugália Editora
1.ª edição
19,2 cm x 13 cm
408 págs.
exemplar em bom estado de conservação, sem qualquer sinal de quebra na lombada; miolo limpo, parcialmente por abrir
ostenta colado no verso da capa o ex-libris de Augusto Guimarães Amora
55,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

quinta-feira, abril 27, 2017

Dicionário Zoológico


JOÃO CAYOLLA TIERNO

Lisboa, 1954
Edição da Tertúlia Edípica
1.ª edição
20,8 cm x 15,4 cm
776 págs.
subtítulo: Contendo, por ordem directa e inversa, todos os termos registados nos dicionários mais correntes da língua portuguesa
exemplar muito estimado; miolo limpo
65,00 eur (IVA e portes incluídos)

Importante instrumento de trabalho.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Pedras à Beira da Estrada


JOAQUIM PAÇO D’ARCOS

Lisboa, 1962 e 1971
Guimarães Editores
1.ª edição
2 volumes (completo)
20,4 cm x 16 cm
324 págs. + 416 págs.
subtítulo do II volume: Notas e Perfis, 1929-1971
exemplares estimados; miolo limpo, parcialmente por abrir o II volume
50,00 eur (IVA e portes incluídos)

Segundo a ficha de leitura assinada por António Quadros para os serviços de aquisição de livros da Fundação Calouste Gulbenkian:
«Colectânea muito irregular de textos sobre figuras da vida portuguesa ou de projecção mundial, alguns dos quais de circunstância. Têm interesse alguns, como os dedicados a Wenceslau de Morais, Columbano, Carlos Malheiro Dias, “Valèry Larbaud e Portugal”, Guilherme de Faria... Outros são meras impressões sem profundidade, escritas em datas de efeméride, que pouco ou nada acrescentam ao conhecimento dos autores tratados. Recomenda-se [...], atendendo-se aos melhores estudos que contem, bem como à personalidade do autor.»
Era assim que os escritores do regime fascista entre si se tratavam.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Poemas


POLÍBIO GOMES DOS SANTOS
nota de abertura de Carlos de Oliveira
prefácio de José Marmelo e Silva
poema homenagem de Vitorino Nemésio
nota de badana de Fernando Namora


Porto, 1981
Limiar
1.ª edição [da obra reunida]
20,5 cm x 12,4 cm
96 págs.
direcção literária do poeta Egito Gonçalves
direcção gráfica de Armando Alves
exemplar como novo
20,00 eur (IVA e portes incluídos)

A par do poeta Carlos de Oliveira, foi um dos expoentes da geração contemporânea da II Guerra Mundial, e da resistência a uma sociedade pantanosa. Esta edição, para além do extenso estudo que é o prefácio de Marmelo e Silva, junta os seus dois únicos livros publicados: As Três Pessoas e Voz Que Escuta.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

terça-feira, abril 11, 2017

Edificações


JOÃO EMILIO DOS SANTOS SEGURADO, eng.

Paris – Lisboa / Rio de Janeiro – S. Paulo – Belo Horizonte, s.d.
Livrarias Aillaud e Bertrand / Livraria Francisco Alves
4.ª edição
18,3 cm x 12 cm
VIII págs. + 256 págs. + 2 desdobráveis (grande formato) em extra-texto
profusamente ilustrado no corpo do texto e em separado
encadernação editorial em tela gravada a negro em ambas as pastas e na lombada
exemplar estimado, contracapa um pouco manchada; miolo limpo
discreta assinatura de posse na margem superior do frontispício
50,00 eur (IVA e portes incluídos)

Assim abre o respectivo Prefácio:
«O presente volume constitui, por assim dizer, a introdução geral ao estudo das Construções Civis, tratando por uma forma que nos esforçámos por ser clara, dos principios de arquitectura indispensáveis a todos os construtores civis, bem como as regras a seguir para a confecção de um projecto de edifício. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Acabamentos das Construções


JOÃO EMILIO DOS SANTOS SEGURADO, eng.

Paris – Lisboa | Rio de Janeiro – São Paulo – Belo Horizonte
Livrarias Aillaud e Bertrand | Livraria Francisco Alves
2.ª edição
18,2 cm x 12 cm
VIII págs. + 340 págs.
subtítulo: Estuques, Pinturas, etc.
ilustrado no corpo do texto
encadernação editorial em tela com gravação a negro nas pastas e na lombada
exemplar estimado, capa um pouco gasta; miolo limpo
ostenta colados nas folhas-de-guarda ex-libris de José Coelho
45,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Cimento Armado


JOÃO EMILIO DOS SANTOS SEGURADO, eng. industrial

Paris – Lisboa / Rio de Janeiro – S. Paulo – Belo Horizonte, s.d.
Livrarias Aillaud e Bertrand / Livraria Francisco Alves
1.ª edição
18,4 cm x 12,2 cm
VIII págs. + 596 págs.
profusamente ilustrado no corpo do texto
encadernação editorial em tela gravada a negro em ambas as pastas e na lombada
exemplar estimado; miolo limpo
assinatura de posse na margem superior do ante-rosto
30,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Encanamentos e Salubridade das Habitações


JOÃO EMÍLIO DOS SANTOS SEGURADO, eng.

Paris – Lisboa | Rio de Janeiro – S. Paulo – Belo Horizonte
Livrarias Aillaud e Bertrand – Aillaud, Alves & C.ª | Livraria Francisco Alves
2.ª edição
18,2 cm x 11,9 cm
2 págs. + VI págs. + 294 págs.
encadernação editorial em tela encerada com gravação a negro nas pastas e na lombada
exemplar estimado; miolo limpo
50,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


sábado, abril 01, 2017

Técnologia do Linho


MANUEL D’OLIVEIRA MATOS SEQUEIRA

Lisboa, 1945
Universidade Técnica de Lisboa – Instituto Superior de Agronomia
1.ª edição
27 cm x 21,5 cm
6 folhas + 99 folhas
subtítulo: Considerações sôbre a maceração – Relatório final do Curso de Engenheiro Agrónomo
impressão a mimeógrafo apenas numa face
exemplar estimado; miolo limpo
valorizado pela dedicatória manuscrita do Autor
30,00 eur (IVA e portes incluídos)

Trabalho académico realizado num contexto em que o Ministério da Economia procurava reactivar a cultura e tratamento da fibra do linho, impedindo o seu declínio acentuado, devido aos deficientes métodos até então empregados na respectiva maceração.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Contos Sem Cotação


AUGUSTO CUNHA
capa de Stuart Carvalhais
ilust. Abel Manta, Bernardo Marques, Botelho, Eduardo Malta, Francisco Valença, Jorge Barradas, Lino António, Martins Barata, Sara Afonso, et alii

Lisboa, 1939
«Livraria Popular» Francisco Franco (deposit.)
1.ª edição
19,6 cm x 13 cm
188 págs. + 16 folhas em extra-texto
ilustrado no corpo do texto e em separado
exemplar muito estimado; miolo irrepreensível
27,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


No Leilão Ameal



[GUSTAVO] MATOS SEQUEIRA
nota de abertura de Luís Derouet

desenhos de Alberto Sousa

Lisboa, 1924
Emprêsa Editora e de Publicidade A Peninsular Ld.ª
1.ª edição
20,7 cm x 15,2 cm
66 págs.
subtítulo: Crónica Amena de uma Livraria a Menos – 31 de Março a 16 de Abril de 1924
todas as páginas apresentam cercaduras decorativas, vinhetas ou caricaturas
exemplar estimado; miolo limpo
discreta assinatura de posse no rodapé do frontispício
tiragem declarada de 500 exemplares «destinados aos bibliófilos»
PEÇA DE COLECÇÃO

65,00 eur (IVA e portes incluídos)

Trata-se de uma das mais gostosas e cómicas descrições do que é um leilão, a sua assistência de ávidos licitantes, o esgrimir de ofertas, etc. Inicialmente publicado nas colunas do jornal O Mundo, esta sua forma em livro constitui peça para guardar e levar até ao futuro... que é aquilo que os coleccionadores mais conscientes afinal fazem ao pagar fortunas por raridades que, de outro modo, esfumar-se-iam na devoradora espiral do tempo. Para aqueles desconhecedores do meio e das manhas de uma sessão leiloeira, Matos Sequeira intercala nas suas crónicas jornalísticas versos que dão o tom e a nota:
«Com o “Esteves” prègando à mão direita,
e à mão esquerda o Pinheiro,
(apregoando os lotes o primeiro
e o segundo lançando-os em Receita),
muito bem pendurado num charuto,
nesta praça é quem faz de Inteligente,
e mete medo à gente
arregalando o seu olhinho arguto.
Êle e os livros tratam-se por tu
e, basta haver quem pague,
é capaz de vender, como um Barbou,
um livro de mortalhas Zig-Zag. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Mediterrâneo


GUSTAVO DE MATOS SEQUEIRA
ilustrações de Estrela Faria

Lisboa, 1934
Sociedade Nacional de Tipografia
1.ª edição
18,8 cm x 12,4 cm
2 págs. + 180 págs.
subtítulo: Crónicas de Viajem
composto manualmente
ilustrado no corpo do texto
encadernação modesta de amador em tela e papel de fantasia
por aparar, sem capas de brochura
exemplar em bom estado de conservação; miolo limpo
20,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

1147 – 8.º Centenário da Tomada de Lisboa aos Mouros – 1947


GUSTAVO DE MATOS SEQUEIRA
URBANO RODRIGUES
CARLOS PEREIRA DA ROSA
ACÚRCIO PEREIRA
MARQUES DA COSTA
capa e ilust. Manuel Lapa
planta de Lisboa por José Espinho
desenhos do “Cortejo Histórico” por Eduardo Coelho [ETC]
fotografias por Horácio Novais
pref. Alvaro Salvação Barreto

Lisboa, 1947
[Câmara Municipal de Lisboa]
1.ª edição
24,1 cm x 17,4 cm
124 págs. (texto) + 6 folhas em extra-texto (reproduções fotográficas) + 1 desdobrável em extra-texto (mapa) + 194 págs. (anunciantes)
subtítulo: Programa oficial das comemorações do VIII Centenário da Tomada de Lisboa
profusamente ilustrado
impresso sobre papéis superiores
exemplar muito estimado; miolo limpo
70,00 eur (IVA e portes incluídos)

Para além da literatura relativa ao facto histórico comemorado, há que sublinhar o incontornável e vastíssimo registo de firmas de comércio e indústria da época, patente nas páginas dedicadas aos anunciantes e patrocinadores. E também, documentam estas últimas, deve ter-se em atenção a sua importância para a história das artes gráficas nacionais.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


1147 – Reportagem Retrospectiva da Conquista de Lisboa


GUSTAVO DE MATOS SEQUEIRA
capa de Stuart [de Carvalhais]

Lisboa, 1947
Livraria Sá da Costa – Editora
1.ª edição (em livro)
19,1 cm x 12,5 cm
152 págs.
exemplar manuseado, mas aceitável; miolo limpo
autenticado com o carimbo do Autor
25,00 eur (IVA e portes incluídos)

Aqui o desempenho honesto do historiador sobrepõe-se à estilística necessariamente ficcional para tratar de um tema fundador da nacionalidade, e por isso longínquo no tempo, tendo por alvo os leitores ligeiros de um periódico, o Diário Popular, que acolheu em primeira mão o texto de Matos Sequeira.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089