terça-feira, dezembro 29, 2015

A Dança Judenga


BULHÃO PATO

Lisboa, 1901
Typographia da Academia
[1.ª edição]
16,7 cm x 12,2 cm
36 págs.
subtítulo: Satyra
encadernação inteira em sintético, gravada a ouro na pasta anterior
não aparado
conserva as capas de brochura
exemplar estimado, restauros pontuais para estabilização da capa da brochura; miolo limpo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)

Sátira feroz aos usos e costumes da época, por mão de alguém que foi glória entre as glórias caricaturadas por Rafael Bordalo Pinheiro. Dos versos:
«D’entre os fastos portugueses,
E do punho realengo,
Saía um barão... ás vezes!
Hoje – d’um queijo flamengo
Sáem condes e marquezes!
[...]
Se um desgraçado petisca,
Para accender a candeia,
O menos a que se arrisca
É d’ir bailar á cadeia!
Que o fisco salta-lhe á isca! [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Brinde aos Senhores Assignantes do Diario de Noticias – 1867 [Canções da Tarde]


BULHÃO PATO

Lisboa, 1866 [para 1867]
Typographia Universal de Thomaz Quintino Antunes
1.ª edição
18,3 cm x 12,6 cm
112 págs.
subtítulo: Canções da Tarde
exemplar muito estimado, com pequenas falhas de papel no topo e no pé da lombada; miolo no geral limpo, com restauro nas págs. 107-108
30,00 eur (IVA e portes incluídos)

Volume (o segundo da colecção dos Brindes do DN) integralmente preenchido pela edição princeps de poemas de Raimundo António de Bulhão Pato.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

The International Code of Signals for the Use of all Nations [junto com] The British Code List for 1885 for the Use of Ships at Sea, and for Signal Stations




ROBERT JACKSON

Londres, 1885
Spottiswoode & Co.
1.ª edição (ambos)
2 tomos encadernados em 1 volume
24 cm x 16,4 cm
[XVI págs. + 2 págs. (cortina) + 238 págs. + 36 págs. (anunciantes) + 4 folhas em extra-texto + 1 tarjeta] + [XXIV págs. + 112 págs. + 6 págs. (suplementos) + 2 págs. (anunciantes) + 1 tarjeta]
profusamente ilustrados
encadernação modesta de encadernador com restauro na lombada e rótulo gravado a ouro
corte carminado
sem capas de brochura
exemplar manuseado mas aceitável; miolo limpo
discreta assinatura de posse no primeiro frontispício: «Antonio Vieira | S. Thomé 1886»
45,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Introdução à Arqueologia Naval


[JOÃO DA GAMA] PIMENTEL BARATA

Lisboa, 1973
Centro de Estudos de Marinha
1.ª edição
23,7 cm x 15,7 cm
32 págs. + 58 folhas em extra-texto (imagens)
subtítulo: A Crítica da Documentação Plástica
profusamente ilustrado em separado
exemplar em bom estado de conservação; miolo irrepreensível
valorizado pela dedicatória manuscrita do Autor
27,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


segunda-feira, dezembro 28, 2015

Verdades Amargas Sobre Questões Sociaes


CARLOS TESTA

Lisboa, 1888
Typographia Universal
1.ª edição
23,5 cm x 15,6 cm
64 págs.
subtítulo: I. – A acção e a reacção. II. – A liberdade e o cumprimento das leis. III. – A intolerancia e seus desacertos.
exemplar estimado, papel da capa frágil, restauro na lombada; miolo limpo, por abrir
17,00 eur (IVA e portes incluídos)

Carlos André Testa (1823-1891) foi oficial da Marinha, chegando ao posto de contra-almirante. Destaca-se, neste particular, por ter sido encarregue da renovação da frota marítima portuguesa. Além de professor na Escola Naval, foi deputado e par-do-reino pelo Partido Regenerador, altura em que apresentou um projecto de lei para proibir as touradas e a construção de novas praças de touros ou a reconstrução das existentes.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Questão de Preferencias na Acquisição de Navios de Guerra


CARLOS TESTA

Lisboa, 1890
Typographia Universal
1.ª edição
22,4 cm x 15,3 cm
2 págs. + 22 págs.
exemplar estimado; miolo limpo
17,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Terras de Maravilha – Os Açores e a Madeira


OLDEMIRO CÉSAR

Lisboa, 1944
José Francisco d’Oliveira (editor)
2.ª edição («consideràvelmente aumentada»)
19,6 cm x 13 cm
216 págs.
subtítulo: Notas de duas viagens de estudo
exemplar muito estimado; miolo limpo, parcialmente por abrir
discreta assinatura de posse à cabeça da pág. 7
22,00 eur (IVA e portes incluídos)

Do prolixo camilianista Oldemiro César, esta reportagem de observador culto constitui uma achega para a memória geo-histórica das nossas ilhas adjacentes.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

domingo, dezembro 27, 2015

Não o Levarás Contigo!


JOSÉ ROSADO

Lisboa, s.d.
Edição Romano Tôrres
1.ª edição
19,2 cm x 12,5 cm
208 págs.
exemplar estimado; miolo limpo
17,00 eur (IVA e portes já incluídos)

Nos múltiplos e diversificados estilos de escrita para as massas, a boa disposição da sua «prosa humorística» fica-nos como um dos mais interessantes, em que o escriba aproveita para, em fecho de livro, render homenagem a alguns vultos da época como seja Júlio Dantas («um escritor de salão adamascado, um freqüentador de boudoir e de five ó clock tea»), o excelente humorista «e conquistador do belo sexo» Armando Ferreira, o prolífico Luís de Oliveira Guimarães, Rocha Martins («formado em Arquivo Nacional»), o jornalista e cineasta Leitão de Barros, e os empresários do Parque Mayer António de Macedo e Vasco Santana.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


sábado, dezembro 26, 2015

Matai-vos Uns aos Outros!


JORGE REIS
pref. Aquilino Ribeiro
capa de António Domingues

Lisboa, 1961
Prelo, Sociedade Gráfica Editorial, Lda.
1.ª edição
19,7 cm x 14,3 cm
XVI págs. (insertas entre as págs. 8-9) + 252 págs.
exemplar em bom estado de conservação; miolo limpo
30,00 eur (IVA e portes incluídos)

Para além de Aquilino Ribeiro ter tido a fineza de escrever umas palavras «À Laia de Apresentação» (mais de si próprio! do que do livro ou do seu autor), Jorge Reis (1926-2005) mereceu-lhe esta obra proibida o Prémio Camilo Castelo Branco, galardão literário promovido por agentes profissionais do livro apenas durante sete anos (1959 a 1965), com o fim de dar a conhecer autores na altura sonegados pela censura do regime fascista. O nome do exilado político parisiense Jorge Reis figurará, pois, entre os de José Rodrigues Miguéis, Vergílio Ferreira, Fernanda Botelho, Maria Judith de Carvalho, José Cardoso Pires e Isabel da Nóbrega.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


domingo, dezembro 13, 2015

Dictionnaire Universel des Hérésies des Erreurs et des Schismes d’après Bergier, Pluquet, Saint Alphonse de Liguori, Grégoire et les Historiens de l’Église continué jusqu’a nos jours


M.-T. [MARIE-THÉODORE] GUYOT

Lyon – Paris, 1847
Périsse Frères, Libraires-Éditeurs
1.ª edição
21,5 cm x 13,7 cm
364 págs. + 1 folha em extra-texto (estampa)
modesta encadernação em meia-inglesa com gravação a ouro na lombada
pouco aparado
sem capas de brochura
exemplar estimado; miolo limpo, sinais de traça nas quatro últimas folhas não afectando a leitura do texto
antigo número de inventário escrito a tinta no canto superior direito do ante-rosto
95,00 eur (IVA e portes incluídos)

Trata-se da visão oficial exclusivista da Igreja católica relativamente a grupos de cisão e seitas religiosas e milenaristas, ou como afirma o bispo de Chalons, no seu texto a autorizar a publicação do livro: «[...] Nous ne pouvons donc que le recommander vivement à tous les lecteurs, qui y déploreront les ténèbres où s’égarent tous les déserteurs de l’Église.»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


sexta-feira, dezembro 11, 2015

Sol da Meia Noite


BENTO CARQUEJA

Porto, 1923
Officinas de O Commercio do Porto
1.ª edição
22,4 cm x 14,1 cm
172 págs.
ilustrado no corpo do texto
impresso a azul-ultramarino sobre papel superior creme
exemplar em bom estado de conservação; miolo irrepreensível
27,00 eur (IVA e portes incluídos)

Bento de Sousa Carqueja (1860-1935) foi académico, empresário, jornalista, escritor e professor universitário. O seu desempenho como director do jornal O Comércio do Porto terá sido dos mais relevantes, quer no universo mediático, quer nas obras de apoio social levadas a cabo por esse periódico. O vertente livro de viagens transporta-nos até à Suécia.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


quinta-feira, dezembro 10, 2015

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa – Alenquer - Arruda-dos-Vinhos - Azambuja - Cadaval [junto com] Sintra - Oeiras - Cascais [junto com] Mafra - Loures - Vila Franca de Xira [junto com] Torres Vedras - Lourinhã - Sobral de Monte Agraço


[CARLOS DE AZEVEDO
JULIETA FERRÃO
ADRIANO DE GUSMÃO]
fotografias de Nunes Claro, Carlos Azevedo, Adriano Gusmão
desenhos de A. Salgado Dias, José Benard Guedes, Nuno Mendonça e Luís Dourdil

Lisboa, 1962-1963
Junta Distrital de Lisboa
1.ª edição
4 volumes
206 mm x 151 mm
[64 págs. + 5 folhas em extra-texto] + 96 págs. + [104 págs. + 4 folhas em extra-texto] + [104 págs. + 3 folhas em extra-texto]
profusamente ilustrados
impressos em rotogravura sobre papel superior
exemplares como novos
90,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa: Alenquer – Arruda-dos-Vinhos – Azambuja – Cadaval


[CARLOS DE AZEVEDO
JULIETA FERRÃO
ADRIANO DE GUSMÃO]
fotografias de Nunes Claro

Lisboa, 1962
Junta Distrital de Lisboa
[1.ª edição]
20,5 cm x 14,8 cm
64 págs. + 5 folhas em extra-texto
profusamente ilustrado a cor e a preto e branco
impresso a rotogravura em papel superior
exemplar como novo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa: Mafra – Loures – Vila Franca de Xira


[CARLOS DE AZEVEDO
JULIETA FERRÃO
ADRIANO DE GUSMÃO]

fotografias de Carlos Azevedo, Adriano Gusmão e Nunes Claro
desenhos de A. Salgado Dias, José Benard Guedes e Nuno Mendonça


Lisboa, 1963
Junta Distrital de Lisboa
[1.ª edição]
20,6 cm x 15,1 cm
104 págs. + 4 folhas em extra-texto
profusamente ilustrado a cor e a preto e branco
impresso a rotogravura em papel superior
exemplar como novo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

terça-feira, dezembro 08, 2015

Estatuto dos Funcionários Civis


MARCELLO CAETANO

Lisboa, 1939
Empresa Universidade Editora
2.ª edição (corrigida)
23,2 cm x 16,8 cm
264 págs.
subtítulo: Legislação Coordenada, Anotada e Revista
modesta encadernação de amador com lombada em pele gravada a ouro
pouco aparado, sem capas de brochura
exemplar estimado, charneiras frágeis; miolo limpo
carimbos ocasionais da biblioteca da Direcção Geral dos Serviços Eléctricos – Junta de Electrificação Nacional
breve rubrica a tinta na margem superior direita da pág. 103 sem afectar o texto
30,00 eur (IVA e portes incluídos)

Uma curiosidade, bem elucidativa, o artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 23.870 de 18 de Maio de 1934:
«Os funcionários públicos e os dirigentes técnicos, empregados ou operários das emprêsas de interêsse colectivo e de quaisquer outras, singulares ou colectivas, que se destinem ao abastecimento e satisfação das necessidades gerais e impreteríveis das populações que suspenderem o trabalho ou, em número de três ou mais, abandonarem colectivamente a repartição, serviço, emprêsa ou trabalho ou o prestarem de modo a perturbar a sua continuïdade ou regularidade serão punidos com a pena de destêrro até dois anos, ou sem ela, multa até 30.000$. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Hoje, Como Ontem: O Estado Novo



MARCELLO CAETANO, doutor

Porto, 1946
União Nacional
1.ª edição
19,9 cm x 14,9 cm
56 págs.
subtítulo: Conferência Promovida pela União Nacional do Porto no XX Aniversário da Revolução de 28 de Maio
exemplar estimado, com discreto restauro na lombada; miolo limpo
17,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Fundamento e Garantia do Ressurgir Português


[OLIVEIRA SALAZAR]

[Lisboa], 1958
Ministério das Finanças
1.ª edição
25 cm x 18,2 cm
16 págs.
capa impressa a duas cores e relevo seco, miolo impresso sobre papel superior
acabamento do caderno com um ponto em arame, com laçada em passamanes à capa
exemplar em muito bom estado de conservação; miolo limpo com ténue sombra ácida no verso da capa e na primeira página
22,00 eur (IVA e portes incluídos)

Apesar do interesse residual do texto dos dois discursos ora reproduzidos, um de 1928 e outro de 1940, respectivamente à entrada e à partida de Salazar do Ministério das Finanças, trata-se de um brilhante trabalho tipográfico levado a cabo pela firma Neogravura, casa que averbou na sua história industrial algumas das mais perfeitas edições livreiras em rotogravura.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Discursos [junto com] Entrevistas



OLIVEIRA SALAZAR

Coimbra, 1935 a 1967
Coimbra Editora, Ld.ª
1.ª edição (todos os volumes)
6 vols. + 1 vol. (completo)
19,5 cm x 14,4 cm
[XXXII págs. + 4 folhas em extra-texto (fac-símile do original manuscrito) + 392 págs.] + [XXIV págs. + 400 págs.] + [XVI págs. + 420 págs.] + [8 págs. + 1 folha em extra-texto (retrato) + 584 págs.] + [4 págs. + 532 págs.] + [4 págs. + 448 págs.] + [4 págs. + 244 págs.]
subtítulo dos Discursos após o vol. II: Notas Políticas
subtítulo das Entrevistas: 1960-1966
exemplares em bom estado de conservação; miolo limpo, por abrir os dois últimos vols.
500,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Discursos [junto com] Entrevistas




OLIVEIRA SALAZAR

Coimbra, 1937 a 1967
Coimbra Editora, Ld.ª
1.ª edição (todos, excepto o vol. I [4.ª edição*])
6 vols. + 1 vol. (completo)
19,4 cm x 14 cm
[LXXIV págs. + 392 págs.] + [XXIV págs. + 400 págs.] + [XVI págs. + 420 págs.] + [8 págs. + 1 extra-texto (retrato) + 584 págs.] + [4 págs. + 532 págs.] + [4 págs. + 448 págs.] + [4 págs. + 244 págs.] + 128 págs.
subtítulo dos Discursos após o vol. II: Notas Políticas
subtítulo das Entrevistas: 1960-1966
exemplares em bom estado de conservação, por abrir (excepto o vol. I, com restauros na lombada); miolo limpo
CONJUNTO VALORIZADO PELA DEDICATÓRIA MANUSCRITA NO VOL. V, DO AUTOR A JOÃO UBACH CHAVES
550,00 eur (IVA e portes incluídos)

* Importante esta 4.ª edição, por tratar-se da primeira vez que Salazar inclui um Prefácio de grande fôlego.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Discursos da Revolução


[BENITO] MUSSOLINI
pref. Italo Balbo
trad. Francisco Morais

Coimbra, 1933
Coimbra Editora, L.da
1.ª edição
19,6 cm x 12,8 cm
4 págs. + 128 págs.
impresso sobre papel superior avergoado
exemplar muito estimado; miolo limpo, por abrir
65,00 eur (IVA e portes incluídos)

A parte mais interessante nesta publicação de alocuções já eivadas de autoritarismo diz respeito à inclusão de um tal autor no catálogo da Coimbra Editora... casa onde, sem empecilho de parte a parte, irão fazer-se editar praticamente todos os intelectuais da «resistência» neo-realista portuguesa...

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Discursos da Revolução



[BENITO] MUSSOLINI
pref. Italo Balbo
trad. Francisco Morais

Coimbra, 1933
Coimbra Editora, L.da
1.ª edição
197 mm x 126 mm
8 págs. + 128 págs.
encadernação de amador inteira em tela negra com a capa anterior da brochura espelhada
não aparado
exemplar estimado; miolo limpo
30,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

O Estado Corporativo


BENITO MUSSOLINI

Firenze, 1938
Vallucchi Editore
[1.ª edição]
191 mm x 126 mm
300 págs.
exemplar estimado, pequena falha de papel no topo da lombada; miolo limpo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)

Edição italiana em português de um dos textos de referência para a organização dos Estados totalitários, livro que, à época, terá feito furor nos corredores da Assembleia Nacional, e que foi modelo para a política de Salazar.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Mi Vida con Benito


RACHELE MUSSOLINI
[Albert Zarca]
trad. Julio Gómez de la Serna

Madrid, s.d.
Editorial Perseo
[1.ª edição]
texto em castelhano
20,3 cm x 14,5 cm
252 págs. + 20 págs. em extra-texto
ilustrado
exemplar muito estimado; miolo limpo
20,00 eur (IVA e portes incluídos)

Foi a segunda esposa do ditador – à revelia da primeira, Ida Dalser –, mas não esteve presente na hora final de Mussolini, que foi executado com a amante Claretta Petacci. Sobreviveu para contar ao escritor-fantasma Albert Zarca o seu ponto de vista glorioso daquilo que para muitos italianos foram anos de ignomínia totalitária.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


A Vida de Arnaldo


BENITO MUSSOLINI
trad. Francisco Morais

Coimbra, 1935
Coimbra Editora, L.da
1.ª edição
19 cm x 13,4 cm
8 págs. + 144 págs.
composto manualmente e impresso sobre papel superior
exemplar manuseado mas aceitável; miolo limpo
60,00 eur (IVA e portes incluídos)

Na mesma editora que criou a colecção Novos Prosadores, onde saiu a fina-flor do neo-realismo resistente à política fascista de Salazar, este livro surge integrado numa colecção dita de Prosadores Italianos Contemporâneos, e regista, sentidamente, o prematuro desaparecimento de Arnaldo Mussolini (1885-1931), irmão mais novo do ditador. Foi ele próprio jornalista e também mentor estratégico e espiritual do fascismo.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Testamento Político de Mussolini



[BENITO MUSSOLINI]
trad. António Garrido Garcia
prefácio de Alfredo Pimenta


Lisboa, 1949
Edições Ressurgimento
1.ª edição
19,2 cm x 13 cm
XXXII págs. + 48 págs. + 14 págs. em extra-texto
subtítulo: Ditado, Corrigido e Rubricado pelo Duce em 22 de Abril de 1945
exemplar estimado, vinco na contracapa; miolo limpo
60,00 eur (IVA e portes incluídos)

Última entrevista do ditador – já preso, a poucos dias da sua execução sumária – ao director do periódico Popolo di Alessandria. Do Prefácio do fascista Alfredo Pimenta:
«[...] Como é que o Papa Pio XII celebra, e com toda a justiça, o nome de um dos autores dos Pactos de Latrão, e não tem sombra de palavra piedosa, humana e caritativa, para o outro, o que foi ignòbilmente massacrado em Dongo por aqueles que levaram ao poder Sua Excelência De Gasperi, Chefe do Governo italiano, que Sua Santidade recebeu em audiência solene? [...]
Nem uma palavra, nem um pensamento! Nada. Mussolini nunca existiu! [...]
Estas minhas palavras, sendo de respeitoso protesto contra este silêncio, e de indignada revolta contra a injustiça e a falta de caridade, são também de enternecida homenagem ao grande e esclarecido espírito que, durante vinte anos, governou a Itália – “domando a anarquia; restabelecendo a ordem; fazendo respeitar a Monarquia; restaurando a Religião; desenvolvendo o poder militar, naval e aéreo; estimulando e amplificando a colonização [...]», etc., etc.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Testamento Político de Mussolini


[BENITO MUSSOLINI]
trad. António Garrido Garcia
prefácio de Alfredo Pimenta

Lisboa, 1949
Edições Ressurgimento
2.ª edição
19,1 cm x 12,9 cm
XXXII págs. + 48 págs. + 14 págs. em extra-texto
subtítulo: Ditado, Corrigido e Rubricado pelo Duce em 22 de Abril de 1945
exemplar muito estimado; miolo limpo
27,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


segunda-feira, dezembro 07, 2015

Ben-Hur


LEWIS WALLACE
trad. José Rosado
pref. Gentil Marques

Lisboa, 1961
Livraria Romano Torres – João Romano Torres & C.ª
4.ª edição
19,3 cm x 12,7 cm
480 págs.
exemplar muito estimado; miolo limpo
inclui a cinta editorial que remete simultaneamente para a versão cinematográfica de William Wyler, com Charlton Heston, e para a então recente edição de O Filho de Ben-Hur, romance da autoria de Roger Bourgeon traduzido por Mário Domingues
20,00 eur (IVA e portes incluídos)

Do prefácio de Gentil Martins:
«[...] [Ben-Hur] É, principalmente, um livro de doutrina – mas de uma doutrina simplicista, acessível a todos, que se impregna em nós sem darmos por isso. A doutrina da verdade. A doutrina da justiça. A doutrina dos bons, dos sãos, dos que salvaram o Mundo quando o Mundo ia resvalar pelo abismo do pecado!
[...] Lewis Wallace, que nos deu esta obra tão perdurável – foi, além de escritor, advogado e general do exército americano. Aí está, talvez, a verdadeira razão do seu êxito. Ele soube reunir o raciocínio subconsciente do magistrado com a fluência da pena e com a virilidade máscula do homem que sabe comandar. Em “Ben-Hur” precisamente há de tudo isso um pouco – o sentido da clemência, a defesa dos justos, os arranques de coragem nos momentos de desespero, o estoicismo perante a morte banal, a força de alma que faz erguer novos ideais. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


quarta-feira, dezembro 02, 2015

Estatuto Político-Administrativo da Província de Timor


Lisboa, 1972
Agência-Geral do Ultramar
[1.ª edição]
20,9 cm x 14,9 cm
48 págs.
subtítulo: Decreto n.º 547/72 de 22 de Dezembro
exemplar estimado; miolo limpo
17,00 eur (IVA e portes incluídos)

Sob a égide do ministro do Ultramar, Joaquim Moreira da Silva Cunha, e da governação de Marcello Caetano, foi promulgado o vertente Decreto.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


segunda-feira, novembro 30, 2015

D. João Quarto, ou A Independencia de Portugal



JOÃO JOSÉ FERREIRA SIMÕES DE MOLE

Coimbra, 1842
Imprensa de Trovão, & Companhia
1.ª edição
21 cm x 14 cm
84 págs.
subtítulo: Drama original historico em verso heroico
exemplar com falhas de papel na capa, apenas estabilizado na lombada; miolo limpo e fresco
20,00 eur (IVA e portes incluídos)

O autor, na incerteza de Inocêncio Francisco da Silva (Diccionario Bibliographico Portuguez, tomo III, Imprensa Nacional, Lisboa, 1859), terá sido professor de latim em Pombal, e mais nenhuma obra literária se lhe conhece para além do vertente poema dramático inspirado nos feitos históricos de 1640.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Obras | Politicas | Moraes, e Metricas




FRANCISCO RODRIGUES LOBO

Lisboa Oriental, 1723
Na Officina Ferreyriana
«ultima impreffaõ novamente correctas, & poftas por ordem» [1.ª edição conjunta]
30,5 cm x 21,8 cm
6 págs. + 724 págs.
encadernação coeva inteira em pele com gravação a ouro na lombada
vestígios de corte carminado
folhas-de-guarda recentes
exemplar estimado; miolo limpo, pequenas faltas marginais no papel do frontispício e das págs. 551-552 e 723-724 afectando o texto
ocasionais assinaturas de posse antigas
PEÇA DE COLECÇÃO
1.000,00 eur (IVA e portes incluídos)

Inclui «Corte na Aldea e Noytes de Inverno», «Primavera – Valles, e Montes, Enire, o Lis, e Lena», «A Primavera – Campos do Mondego», «Primavera – Prayas do Tejo», «O Pastor Peregrino – Segunda parte de fua Primavera», «O Desenganado – III. parte da sua Primavera», «O Condestabre de Portugal D. Nuno Alvares Pereyra», «Eglogas – Discurso sobre a vida, e estylo dos pastores», «La Jornada que la Magestad Catholica Delrey Dom Felippe III. hizo a Portugal» e «Romances».

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Côrte na Aldeia e Noites de Inverno


FRANCISCO RODRIGUES LÔBO
pref. e notas de Afonso Lopes Vieira

Lisboa, 1945
Livraria Sá da Costa – Editora
1.ª edição [na vertente modalidade]
25 cm x 16,3 cm
XXVI págs. + 2 págs. (cortina) + 336 págs.
impresso sobre papel superior Leorne da Companhia do Papel do Prado
exemplar estimado; miolo irrepreensível
é o n.º 32 da tiragem especial de 100 exemplares assinados por Afonso Lopes Vieira
50,00 eur (IVA e portes incluídos)

Obra originalmente publicada em 1619 pelo impressor Pedro Crasbeeck, numa época em que Portugal não passava de uma colónia de Espanha, e que «nem côrte havia, a não ser aquela meio secreta de Vila-Viçosa, de cujos senhores os patriotas nacionais não tiravam os olhos» (diz-nos Lopes Vieira), tomava o modelo literário e de moralidade colhidos em O Cortesão de Castiglione.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Lisboa Seiscentista



FERNANDO CASTELO-BRANCO

Lisboa, 1969
Publicações Culturais da Câmara Municipal de Lisboa
3.ª edição (revista e aumentada)
21,2 cm x 15,2 cm
444 págs. + 50 págs. em extra-texto + 4 desdobráveis em extra-texto
ilustrado
capa impressa a duas cores e relevo seco
exemplar estimado; miolo irrepreensível, parcialmente por abrir
40,00 eur (IVA e portes incluídos)

Brilhante tentativa de reconstituição panorâmica da cidade e do modo de viver dos lisboetas no século XVII, da autoria do filho do, igualmente notável, escritor Castelo-Branco Chaves.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

sexta-feira, novembro 27, 2015

Almanach Illustrado do Occidente para 1900




Lisboa, 1900
Empresa do Occidente / Typ. de A. E. Barata
1.ª edição
26,7 cm x 19,8 cm
80 págs.
profusamente ilustrado
exemplar envelhecido mas aceitável dada a sua raridade, capa, contracapa e lombada com cuidadosos restauros; miolo limpo
peça de colecção
55,00 eur (IVA e portes incluídos)

Os almanaques representam, através dos tempos, desde o pioneiro Abraão Zacuto (1496), o modo como o homem culto dispõe para utilidade e memória a sucessão do tempo em quadros e tabelas de efeméride sasonal, mensal e diária. O vertente, edição da revista de referência O Occidente (1878-1915), já estende o seu âmbito à história política e literária da época, assim como nos dá testemunho do comércio e indústria nascentes, através de páginas de anunciantes.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Almanak Ferin para 1905



Lisboa, s.d. [1904]
Typographia da Livraria Ferin
1.ª edição
13,1 cm x 9,5 cm
XVIII págs. + 10 págs. + 492 págs. + 4 folhas em extra-texto + 1 desdobrável em extra-texto
subtítulo: 9.º anno de publicação
ilustrado
encadernação editorial inteira em pele com gravação a ouro na pasta anterior e na lombada, relevo seco na pasta posterior
exemplar muito estimado; miolo limpo
todas as reproduções fotográficas conservam o vegetal protector
assinatura de posse do historiador Isaías da Rosa Pereira
PEÇA DE COLECÇÃO
50,00 eur (IVA e portes incluídos)

Particular atenção para o carácter de documento oficial e para a componente temática nobre deste voluminho e reproduções de retratos de figuras da sua esfera, nomeadamente a duquesa de Palmela, a marquesa de Rio Maior, José Luciano de Castro e Hintze Ribeiro. De igual modo, são dignos de reparo os capítulos com os titulares e pares do reino de Portugal (e seus brasões), e a detalhada composição das secretarias de Estado e ministérios.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

Almanak Popular para 1850


FILIPPE FOLQUE
J. H. FRADESSO DA SILVEIRA
[?] F. FERREIRA D’ALMEIDA

Lisboa, 1849 (segundo ano)
Imprensa Nacional
1.ª edição
17 cm x 11,6 cm
164 págs.
subtítulo: Contendo além do que se acha geralmente nas folhinhas muitos artigos de sciencia popular, litteratura, statistica, conhecimentos uteis, variedades, poesia, musica, etc. illustrados com gravuras executadas por artistas portuguezes
profusamente ilustrado
exemplar estimado, falhas de papel na capa; miolo limpo
assinatura de posse no rosto
45,00 eur (IVA e portes incluídos)

Para além dos referidos autores, pudemos identificar colaboração de Lopes de Mendonça, com o «romance» O Engeitado, e A. Lima com o poema Ao Anno Velho. Isto na parte propriamente literária, porque na de erudição científica são de relevar as páginas finais concernentes à estatística, e a respectiva chamada de atenção, por parte dos autores do almanaque, para essa ciência ainda embrionária em Portugal (e ainda não determinante de erróneas conclusões tendentes a esquecer a importância do indivíduo no seio das massas): «A estadistica é duplicadamente util n’um paiz cujos recursos são tão pouco conhecidos e apreciados [...]. Esperâmos que os nossos esforços concorram para que se dê d’ora em diante mais attenção a um ramo tão importante dos conhecimentos humanos – como é a estadistica [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089

domingo, novembro 22, 2015

A Expulsão dos Vendilhões



LUIS BASTOS GONÇALVES
capa e ilust. Alonso

Lisboa, s.d. [1926]
Livraria Central, Editora – H. E. Gomes de Carvalho
1.ª edição
18,6 cm x 12,2 cm
82 págs. + 1 folha em extra-texto
impresso sobre papel de gramagem superior
elegante encadernação em meia-francesa com cantos em pele, lombada com gravação a ouro e filetes em ouro nos remates da pele
ligeiramente aparado
conserva as capas de brochura
exemplar em bom estado de conservação, pequenas esfoladelas nos cantos da pasta anterior; miolo irrepreensível
VALORIZADO PELA DEDICATÓRIA MANUSCRITA DO AUTOR
37,00 eur (IVA e portes incluídos)

Poemas de exortação à República, num momento em que os seus mentores e o povo em geral, derrotados pela ditadura militar, eram vistos por Bastos Gonçalves numa atitude apática merecedora de um abanão atempado. De «A Nau “Portugal”» e de «Tirano!...»:
«[...] Toda a completa equipagem
adormeceu, com delícia,
pensando em toda a carícia
da sua antiga viagem!
E o fado da Tradição
quasi os obriga a sonhar
que de novo vão entrar
no porto da Salvação!

Mas cautela, ó sonhadores,
acordai que é tempo ainda,
não se perca Nau tão linda,
remai certo, remadores! [...]»

«[...] [Tirano!...] Põe a canga no dorso a êsse grande bruto,
essa bêsta de carga, o povo irresoluto,
que fazes caminhar à força de metralha
e, empregando um processo irreverente e astuto,
proíbe de pensar ao Homem, que trabalha... [...]

Levanta uma fogueira, em cada praça pública,
e põe a assar, na grêlha,
para dares o ensino aos teus concidadãos,
tudo quanto recorda as formas da Republica,
dêsde a Rússia Vermelha
à Bíblia dos cristãos!»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


quarta-feira, novembro 18, 2015

Memórias da Vida Diplomática


ALBERTO D’OLIVEIRA

Paris – Lisboa, 1926
Livrarias Aillaud e Bertrand
1.ª edição
23,3 cm x 15,5 cm
432 págs. + 7 folhas em extra-texto
subtítulo: Portugal na Conferência de Haia em 1907 – Algumas vistas da Suíça – Portugal na América Ibérica
exemplar manuseado mas aceitável; miolo limpo
pequeno rótulo de posse colado no canto superior direito do ante-rosto
45,00 eur (IVA e portes incluídos)

Alberto de Oliveira (1873-1940) foi diplomata e poeta, companheiro de António Nobre na juventude, com quem dirigiu a revista Boémia Nova, tendo vindo a dirigir, mais tarde, o jornal monárquico e integralista Acção Nacional.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


Omar Ben Hafsún


FIDEL FERNÁNDEZ

Barcelona, 1942
Editorial Juventud, S. A.
1.ª edição
texto em castelhano
22 cm x 15,3 cm
272 págs.
subtítulo: Un Reino Cristiano Andaluz en Pleno Imperio Islámico Español – 854-9l7
cartonagem editorial com falta da sobrecapa cuja portada se encontra colada na primeira folha-de-guarda
exemplar estimado; miolo limpo
25,00 eur (IVA e portes incluídos)

Da Introdução do próprio Fidel Fernández (1890-1942):
«[...] Omar Ben Hafsún es uno de los personajes más interesantes de nuestra historia. Atrae lo accidentado y novelesco de su vida, tan llena de vicisitudes; cautivan sus condiciones de guerrero hábil en las acometidas, fuerte en la defensa, burlón en los tratos, altivo en sus relaciones con los califas musulmanes; asombran sus dotes de organizador, su habilidad para aprovecharse de las flaquezas del enemigo, y las envidiables condiciones que le permitieron sostener durante treinta años un reino cristiano andaluz junto a la capital del poderoso imperio islámico español.
La historia de este personaje tiene un carácter romántico que le presta extraordinario interés. No es un jefe de Estado hecho a nuestra medida, como sus contemporáneos los reyes de Castilla y de Aragón. Vivió en otro ambiente y en otro mundo que desconcierta nuestras normas espirituales. No es del todo moro ni del todo cristiano. No es un caballero, pero tampoco un bandido. Unas veces pelea como valiente y otras engaña como rufián. Tan pronto se llama Omar como Samuel. Es, en fin, el modelo de esos aventureros que han constituído, en toda ocasión y en todo tiempo, el tipo castizamente español del guerrillero. [...]»

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


segunda-feira, novembro 16, 2015

A Defeza de Portugal


ALFREDO PEREIRA TAVEIRA, coronel

Lisboa, 1906
Typ. da Cooperativa Militar
2.ª edição («revista e augmentada»)
24 cm x 16,4 cm
420 págs. + XX págs.
título integral: Summario Historico sobre a defeza de Portugal considerada sob o ponto de vista da preparação da guerra – Primeira parte (1640-1815)
exemplar envelhecido, capa com restauros marginais; miolo limpo, por abrir
55,00 eur (IVA e portes incluídos)

Trata-se apenas da primeira parte desta importante história de Portugal militar.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


No Tempo dos Francezes


FRANCISCO DA FONSECA BENEVIDES

Lisboa, 1908
Typographia «A Editora»
3.ª edição
21,8 cm x 14,7 cm
330 págs. + 8 folhas em extra-texto (gravuras)
ilustrado em separado
exemplar muito estimado; miolo irrepreensível
30,00 eur (IVA e portes incluídos)


pedidos para:
telemóvel: 919 746 089


domingo, novembro 15, 2015

Esclarecer o Eleitor: Inquérito aos Partidos Políticos


aa.vv.

Lisboa, s.d. [1975]
Fernando Ribeiro de Mello / Edições Afrodite
2.ª edição
20,9 cm x 14,7 cm
348 págs.
exemplar estimado; miolo limpo
27,00 eur (IVA e portes incluídos)

Questionários dirigidos a todas as organizações políticas então candidatas às eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 (as primeiras após a queda da ditadura), «tendo em vista o esclarecimento do eleitorado» para além da simples leitura das «soluções genéricas – por vezes algo abstractas e ambíguas –, contidas nos princípios programáticos de determinados movimentos e partidos políticos». Tiveram eles como autores Francisco Pereira de Moura, António Proença Varão, António Borges Coelho, Avelino Rodrigues, Daniel Sampaio e Carlos Caldeira, que, com o apoio de Jorge Sampaio, Marcelo Rebelo de Sousa, Sottomayor Cardia, Vilaverde Cabral e do próprio editor Ribeiro de Mello, versaram matérias como a religião, a saúde, o desenvolvimento económico, a instrução, a cultura, o governo do Estado e, obviamente, a política ou políticas daí decorrentes. Houve quem não respondesse... o que, «com a maior perplexidade democrática», o editor lamenta em nota de abertura.

pedidos para:
telemóvel: 919 746 089